A La Carta logo
pt-bres

O encontro entre o setor produtivo e restaurantes

MIEM e a Corporação Gastronômica de Punta del Este unem forças

O trabalho colaborativo entre a Corporação Gastronômica de Punta del Este e o Ministério da Indústria, Energia e Mineração (MIEM) tem uma longa história. No final de 2015, o Ministério iniciou uma linha de trabalho com a Corporação com o objetivo de promover o aprimoramento dos produtos locais utilizados na gastronomia e começa, em primeira instância, com a oportuna atuação junto aos fornecedores de azeite de oliva.

Este trabalho foi realizado e hoje ainda é válido em cada um dos restaurantes que participaram da iniciativa, onde expõem azeites locais, um cardápio para aprender mais sobre eles e a possibilidade de treinar sua equipe em questões relacionadas ao azeite extra virgem local.
O encontro entre o setor produtivo e os restaurantes é uma tendência mundial, a qual o Uruguai não é alheio, muito menos em um destino internacional como o de Punta del Este. É assim, que o setor gastronômico de Punta del Este definiu como uma de suas estratégias de desenvolvimento oferecer produtos locais aos seus clientes. Isso se presenta como uma oportunidade para o setor primário e para a agroindústria colocar em uma vitrine como são os estabelecimentos gastronômicos de Punta del Este, produtos locais, com a qualidade que possuem e a particularidade de sua gestão, que em geral são caracterizados por seu caráter natural. Esta linha de trabalho foi reforçada ao longo de 2017 com uma nova aposta, a carne de cordeiro. A união entre produtores locais de cordeiros e restaurantes parece a principio ser simples.

No entanto, isso ainda não foi alcançado porque falta um ator mediador que possa unir esses dois pontos que possuem lógicas e tempos diferentes. Este trabalho é uma iniciativa que, no caso de atingir seu objetivo, representa uma inovação de alto valor tanto para a gastronomia nacional quanto para a produção nacional.
O desafio de unir esses elos, que naturalmente pertencem à mesma cadeia, é encontrar ou gerar um ator comercial capaz de aglutinar, treinar e puxar a cadeia, resolvendo problemas operacionais, logísticos, comerciais e de marketing. O MIEM tem apoiado esta ação desde o seu início. O trabalho é feito de forma articulada e em conjunto,
somando aos privados e públicos envolvidos neste desafio. Por trás do projeto que liga a produção de carne de cordeiro à gastronomia de Maldonado, existem entidades como o Ministério da Pecuária, Agricultura e Pesca, a Prefeitura de Maldonado, cooperativas de produtores de ovinos, empresas de desenvolvimento local, associação de açougueiros de Maldonado. Especificamente do MIEM, o apoio traduz-se no financiamento de um trabalho técnico externo que procurou analisar a cadeia, formular o plano de negócios necessário para aderir a estes elos e dar orientações sobre o caminho a seguir. Este trabalho foi desenvolvido em 2017 e exigiu a participação constante de todos os envolvidos. Da mesma forma, se está dando apoio para a concreção do registro de uma marca como forma de acrescentar valor ao produto. No decorrer do ano e com o objetivo de gerar relações mais próximas entre as partes, instâncias de trabalho foram geradas em torno do produto entre produtores, açougueiros e chefs. O objetivo era vincular os atores, bem como trabalhar em novas formas de elaboração do produtos, a fim de maximizar seu uso, transcendendo os cortes tradicionais. Houve também dias de troca de conhecimento para fortalecer os laços, reunir as partes e combinar lógicas de trabalho que são atravessadas por ritmos diferentes. Ao longo de 2019, com o apoio de um Fundo para a Promoção da Competitividade Territorial do Gabinete de Planejamento e Orçamento, sendo o MIEM um parceiro chave, se trabalhará em:
construir uma marca coletiva que prima pelo valor do produto, promover melhorias produtivas e comerciais na cadeia e fortalecer o vínculo entre seus elos

Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.Los campos necesarios están marcados *

*

x

Leia tambem

Novo terroir com influência oceânica

Com cinco vinícolas e ...